Blog Oxigênio / Artigo

Você é Antifrágil?

13/11/2019

Diante das dificuldades, podemos escolher ser uma pessoa frágil, resiliente ou antifrágil. O que você decide?

 

O mundo de hoje, está em uma velocidade fora do normal. Estamos no início de uma curva de crescimento exponencial de ciência e tecnologia que pede, daqui para frente, que o aprendizado ganhe mais velocidade e constância. Sendo assim, o mundo se tornou imprevisível e hoje é conhecido como “Mundo V.U.C.A.”, termo que vem do Inglês e significa um mundo tomado pela volatilidade, pela incerteza, pela complexidade e pela ambiguidade.

Diante deste cenário, quem não estiver preparado o suficiente para enfrentar esses desafios, acabará desistindo de seus planos por pensar que está vivendo em “tempos difíceis”. Dificuldades são molas propulsoras para apenas duas direções: fracasso ou sucesso. Já parou para pensar: para que direção você está conduzindo a sua Vida?

Uma das habilidades fundamentais para se ter sucesso, nas diversas áreas da vida é a “Resiliência”, palavra que vem do Latim “Resilire” que significa recusar, voltar atrás. Na Psicologia significa ter a capacidade de suportar pressão e voltar ao estado inicial. Na Física, a capacidade de um material sofrer um grande impacto e aos poucos retornar a sua forma original. Sendo assim, “resiliência” é algo estático, fixo, que mora na ideia de que mesmo diante das dificuldades, devemos aguentar firmes e não desanimar, o que está correto, mas neste contexto de velocidade, aleatoriedade e incertezas, precisarmos ir além do que suportar pressões, e sim aprender e evoluir com elas.

O sucesso exige disciplina e perseverança. Mas poucas pessoas tem a capacidade de suportar diversos fracassos até obter a vitória. Recentemente um novo conceito surgiu para aprimorar nossa visão de como lidar com os erros e adversidades que nos cercam. Podemos escolher ser uma pessoa frágil, assim como um cristal que se quebra, uma pessoa resiliente, assim como a Fênix, pássaro da mitologia Grega que retorna das cinzas, ou escolher ser como a Hidra de Lerna, um monstro também da mitologia Grega, que tinha a capacidade de no lugar de uma cabeça cortada, fazer crescer duas, se fortalecendo a cada batalha. Esta última, retrata muito bem o conceito de ser Antifrágil.

O conceito de Antifragilidade foi trazido pelo escritor, matemático, estatístico e analista de risco Nassim Nicholas Taleb (1960), de origem Libanesa em seu livro “Antifrágil – Coisas que se Beneficiam com o Caos”, publicado em 2012, cuja ideia é de que pessoas Antifrágeis suportam bem qualquer tipo de pressão, pois além de enfrentarem desafios sem perder o chão, aperfeiçoam-se, desenvolvem-se e crescem com essas intempéries.

Esse é um modelo de pensar mais positivo, que nos ensina a ver o lado benéfico dos desafios, e serve como uma alavanca para um amadurecimento significativo na Vida, pois o foco é desenvolver soluções a partir do problema. Temos o costume de ficarmos em nossa rotina, na zona de conforto, onde tudo é mais fácil, conhecido e temos uma previa dos acontecimentos futuros. Para a maioria das pessoas é assim na vida pessoal, na vida profissional e nos negócios. Agora pergunto, onde você pretende chegar, se está preso neste território? Qual é o ganho em se conformar que é assim mesmo? Não há ganho nenhum, não há aprendizado, não há evolução. Não conhecemos novos mundos com o mesmo mapa! Simples assim! Conhecendo novos caminhos encontramos as dúvidas, o medo, os imprevistos, enfim, os desafios que por muitas vezes, fugimos deles, mas que na verdade, se os enfrentarmos de cabeça erguida, nos fortalecem.

Ser antifrágil é como ser resiliente, mas com alguns “plus”, como o aprendizado, o autodesenvolvimento, o autofortalecimento, fatores que proporcionam maior amadurecimento diante das situações adversas. E o primeiro passo para se tornar uma pessoa antifrágil, é se conhecer melhor, olhar para dentro de si e identificar suas potencialidades, e essencialmente, suas fraquezas, pois é no momento de necessidade, que ativamos a criatividade e assim começamos a enxergar novas possibilidades para não desistirmos no meio do caminho. Surgiu um problema, nunca desista, olhe para ele e se pergunte: como esta situação surgiu? Como eu cresço com este problema? O que faço para não acontecer de novo? Entenda o que sentiu com a dificuldade, e se proteja. Amanhã você será mais forte que hoje!

 

Autora do texto:

Zoila Medeiros - @zoila.sm

Master Coach e Mentora - Desenvolvimento de pessoas e líderes

zoilasm@yahoo.com.br

O seu navegador está desatualizado!

Atualize o seu navegador para ter uma melhor experiência e visualização deste site. Atualize o seu navegador agora

×